Redirecionamento

javascript:void(0)

quarta-feira, 28 de março de 2012

Direitos humanos não podem sair da pauta da Rio+20, afirmam organizações da sociedade civil

Direitos humanos não podem sair da pauta da Rio+20, afirmam organizações da sociedade civil

Cinco representantes de organizações da sociedade civil criticaram nesta terça-feira (27/3) a retirada do tema dos direitos humanos da agenda da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que ocorrerá entre os dias 20 e 22 de junho no Rio de Janeiro.
Tim Gore, da ONG Oxfam Internacional; Nathalie Rey, do Greenpeace Internacional; Anabella Rosembeg, da Confederação Internacional da União Sindical; Anil Naidoo, da ONG ‘Council of Canadians’; e Sascha Gabizon, da ONG ‘Women in Europe for a Common Future’, realizaram uma coletiva de imprensa na sede das Nações Unidas, em Nova York, EUA, para divulgar uma carta endereçada ao Secretário-Geral da Rio+20, Sha Zukang. A coletiva teve o apoio logístico do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU (DESA).
“Nós estamos horrorizados e em choque com o que está acontecendo”, afirmou Sascha Gabizon. A carta expressa a preocupação com “uma situação que ameaça gravemente os direitos de todas as pessoas e compromete a relevância das Nações Unidas”. O documento, segundo Anil Naidoo, foi apoiado por mais de 500 organizações de 67 países.
“Os direitos humanos precisam ser levados em conta se a Rio+20 quiser produzir um documento final legítimo com impactos positivos que todos nós esperamos”, afirmou o representante da ONG ‘Council of Canadians’.
Na carta, foram lembradas a ausência de referências ao direito à alimentação e nutrição adequadas, o direito à água potável e limpa e ao saneamento básico, bem como o direito ao desenvolvimento e equidade no documento “O Futuro que Queremos”, que terá sua versão final como resultado da conferência.
Para conferir vídeo da coletiva na íntegra, em inglês, clique aqui.
Para acessar a carta, clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário